Relato: Ironman Florianópolis por Rafa Cabral

Ironman Florianópolis

por Rafa Cabral
Rafa Cabral comemorou muito a classificação para o Havaí!

Rafa Cabral comemorou muito a classificação para o Havaí!

Minha grande motivação para fazer este relato não é apenas o resultado obtido, mas também, a imensa gratidão que tenho por todos aqueles que em Florianópolis estavam para apoiar cada atleta.
Em particular para mim, era muito importante estar em Floripa este ano porque há dez anos desde que fiz meu primeiro IM, em 2006.
É bem verdade que criamos objetivos dentro de nós. E confesso que me qualificar para o Hawaii não era o principal. O Ironman é uma prova muito longa e que, na verdade, começa seis a sete meses antes com o treinamento. Cada dia de treino, cada semana, é um degrau que construímos até o tão sonhado pórtico de chegada.
As distâncias do IM devem ser sempre respeitadas. Partindo-se disso e considerando algumas frustrações sofridas em provas de IM anteriores, comecei a respeitar minhas limitações e a aceitar que estava além dos meus limites fazer um tempo total de prova que me qualificasse.
Porém, em toda essa trajetória, existe uma pessoa que sempre acreditou que fosse possível: o Walter.
Apesar dos meus 2 anos e meio vivendo afastado, ele sempre esteve presente. Ao final de cada semana, fazia relatos e enviava links dos treinos. Ele analisava e planejava as semanas subsequentes. E era o Walter que dizia: podemos aumentar a potência em 20w, vamos manter esse pace na corrida por que vai dar certo…
Foi impressionante como no dia anterior à prova, após a reunião que tivemos no Il Campanário, ele me disse o tempo em cada modalidade que ele acreditava que eu fosse capaz de fazer. A única ressalva foi a corrida. Ele disse: “se você não se afobar e mantiver seu pace dentro do planejado, você vai até o fim…”
E eu, simplesmente, fiz o que o “velho” mandou.
Mas, no dia da prova, não foi só o velho. Cada um daqueles que lá estava para torcer e apoiar foi primordial. É muito confortante e motivante, naqueles momentos de dor e solidão da prova, rever os rostos amigos.
E foi assim, por volta do 15KM, em um trecho isolado do percurso que encontrei o Hermann, a Andréia e seu marido, Edu Teixeira. Confesso que naquele momento eu me perguntava se seria capaz, ou se fracassaria novamente. Mas, quando os avistei, eles olharam nos meus olhos e disseram: “continue assim, vc está fazendo um provão, e nós estaremos te esperando na Av. Búzios.
Mais tarde, no trecho que apelidamos de “walking dead” da corrida, o Walter e o Nuno apareceram de bicicleta. O Walter perguntou: “Rafinha, vc está bem?”. Eu respondi: “Não sei… Apenas estou correndo e a 4:45/4:50min/km como você mandou”. Ele respondeu de volta: “OK!! Então mantenha assim e não deixa ninguém te passar”. Nesse momento pensei: tomara que não me passem porque não tenho forças pra reagir.
Ao voltar para Av. Búzios, fiz questão de olhar nos olhos de cada um dos amigos e amigas. Ao cruzar o olhar com o Hermann e o Edu Teixeira percebi que aquele seria meu dia. O olhar deles me disse tudo: “confie em você, porque nós confiamos.”
Desse momento em diante, coloquei na cabeça que aquele seria um dia em que tudo daria certo. Por várias vezes dizemos: “tudo bem, não era pra ser, não era meu dia.” Mas, não… Dessa vez, aquele seria meu dia. Aquele seria o dia que tudo daria certo. Aquele seria meu dia e de meus amigos também.
E assim foi até o fim e aquele se tornou o dia de todos nós.
Eu fui sozinho para Floripa, me hospedei sozinho, mas em momento algum me senti desamparado.
Mais do que comemorar, eu tenho mesmo é que agradecer.
Rafa Cabral.


One thought on “Relato: Ironman Florianópolis por Rafa Cabral

  • Alemão

    Taí um cara realmente diferenciado, sempre digo que é um poço de humildade e mais uma vez demonstrou isso fazendo questão de dividir a sua conquista conosco, a admiração pelo atleta Rafael Cabral é enorme, mas pela pessoa Rafael Cabral é maior ainda, a dedicação é toda dele, o esforço é todo dele, a superação é toda dele e ainda assim encontra um espaço para dividir a sua conquista com os outros. Quase não consegui ir para FLORIPA devido problemas com meu trabalho, fui pq me sentia na obrigação de retribuir todo apoio que tive dos amigos de treino nas três provas que fiz, e ler um relato desses me faz concluir que valeu a pena todo o esforço para estar lá.
    Parabéns pela conquista Rafa, vc foi um monstro, e que venha Kona!!!
    Podem falar o que quiser da prova que for mas…IRONMAN é sempre IRONMAN!!

Speak Your Mind