Pliometria

De acordo com o Portal da Educação Física, os exercícios de pliometria – movimentos cíclicos de alongamento e encurtamento – têm sido cada vez mais procurados por corredores, na busca pela máxima utilização dos músculos para trabalhar a explosão e a velocidade, permitindo-lhes o aumento da capacidade total de gerar força.

Exercício pliométrico para membros inferiores.

Exercício pliométrico para membros inferiores.

No entanto, engana-se quem pensa que os exercícios pliométricos são, somente, utilizados para membros inferiores. Muitos atletas utilizam-se dessa técnica para aumento de força em membros superiores também.

Grande parte da metodologia do CrossFit, popular tendência de treino nos EUA e com um bom número de adeptos aqui no Rio de Janeiro, é pautada em fundamentos dessa técnica.

 

Mas o que vem a ser a pliometria?

Em uma visão mais simplista do movimento, seria utilizar a força aplicada no esforço inicial, em um ciclo completo do exercício proposto, sem descanso entre as fases do movimento, a exemplo dos exercícios de saltos, onde a força imposta para subir um obstáculo é aplicada de volta na fase de aterrisagem ao solo, como se esticássemos um elástico.

 

E fisiologicamente falando?

“Muitos movimentos esportivos envolvem o estiramento rápido dos músculos (fase excêntrica) antes de ocorrer uma contração explosiva (fase concêntrica). O que se postula é que o alongamento ativo, ou fase excêntrica, aumenta a potência da contração subsequente (fase concêntrica) do ciclo excêntrico-concêntrico” (Maffiuletti et al., 2002; Komi, 1984).

Chu e Plummer (1989), apontam que os exercícios pliométricos visam ligar as divergências entre a força e a velocidade do movimento para produzir um tipo de movimento de explosão reativa. Assim, o reflexo de estiramento (ocorrente na fase excêntrica do ciclo excêntrico-concêntrico) provocará a contração do músculo  que foi alongado (homônimo) e dos músculos motores secundários (sinergísticos) e a inibição dos músculos antagonistas (responsáveis pelo movimento de oposição). A velocidade do reflexo de estiramento e o período de transição da fase excêntrica para a fase concêntrica são os fatores determinantes para o ganho máximo em performance num movimento explosivo (Fowler et al., 1995)

 

Para o aumento de força, além da musculação e treinos específicos na areia, temos a pliometria como uma aliada segura e eficaz para tal fim.

 

Autor: Prof. Esp. Raphael Torres

 

Exercícios pliométricos são ministrados por nossos professores durante as sessões de treino funcional.

Venha experimentar! Entre em contato conosco e agende um treino.

 

Caso queira saber mais sobre pliometria, acesse as referências utilizadas pelo prof. Raphael para o artigo: