Após brilhar no Pan de MTB, Brasil ocupa o 10º lugar no classificatório da Rio 2016

Com os resultados positivos conquistados no Pan-Americano, o Brasil aparece à frente de grandes expoentes do mountain bike, como Canadá, Estados Unidos, Inglaterra e Colômbia.

Campeonato Pan-Americano 2015 - Foto: Maximiliano Blanco / CBC

Campeonato Pan-Americano 2015 – Foto: Maximiliano Blanco / CBC

O brasileiro Henrique Avancini retornou do Pan-Americano comemorando em dobro o seu título conquistado na Colômbia. Na última segunda, 30 de março, Henrique completou 26 anos, e o que não faltaram foram homenagens. Luiz Cocuzzi, de apenas 21 anos, também se confirmou como uma grande revelação do Mountain Bike brasileiro ao garantir a medalha de ouro na categoria Sub-23. Entre os países participantes, o Brasil terminou na terceira colocação, ficando atrás apenas da Colômbia e EUA.

Com os resultados positivos conquistados no Pan-Americano, o Brasil aparece em 10º lugar na última atualização do ranking mundial de classificação olímpica por nação (31/03), ficando à frente de países que são grandes potências no esporte, como Canadá, Estados Unidos, Inglaterra e Colômbia. A lista soma 80 países na disputa. Já no ranking mundial individual, o grande destaque brasileiro é Henrique Avancini, que aparece com 1.051 pontos, na 14ª colocação, sendo disparado o melhor atleta do continente americano na lista. Atualmente 1403 atletas disputam o ranking individual. Outros dois nomes que pontuam para o Brasil no ranking internacional são Rubens Donizete, 448 pontos, na 56ª colocação, e Ricardo Pscheidt, 288 pontos, na 107ª posição. O francês Julien Absalon é o líder com 2.333 pontos.

Antes de começar a pontuação olímpica eu declarei que me empenharia para ser o representante do Brasil nos Jogos e ainda daria uma contribuição de peso para colocar um segundo atleta brasileiro nas olimpíadas. Ainda falta mais de um ano para os Jogos, mas é possível terminarmos no top 13 e com isso teremos dois representantes. Fico muito feliz de poder estar contribuindo e espero fazer parte desse grandioso evento representando o meu pais”, declarou Henrique.

A excelente colocação alcançada pelo Brasil no ranking internacional, comprova o comprometimento e a dedicação da Confederação Brasileira de Ciclismo no desenvolvimento e manutenção de projetos voltados para o MTB brasileiro. “Ainda estamos praticamente no início da temporada, mas resultados como esses do Pan, nos deixam confiantes em seguir na briga pela classificação para Rio 2016. É muito importante dizer que a CBC em nenhum momento se acomodou por ter uma vaga garantida no MTB por ser país sede, os projetos seguem a todo vapor com a intenção de participarmos com o maior número possível de atletas”, afirmou José Luiz Vasconcellos, presidente da Confederação Brasileira de Ciclismo.

Renovação – Confirmando o seu talento internacionalmente, Luiz Henrique Cocuzzi, 22 anos, protagonizou uma participação exemplar no Pan da Colômbia. O brasileiro conquistou a medalha de ouro na prova de XCE (Cross Country Eliminator), e completou a sua participação com a quarta colocação na prova de XCO, que é a sua especialidade. Em 2014, no Pan do Brasil, Cocuzzi já havia se destacado ao levar a medalha de prata na mesma prova (XCO).

Representando a Elite feminina do MTB brasileiro, Raiza Goulão, 24 anos, completou o Pan-Americano da Colômbia como a melhor atleta da seleção, na 10ª colocação. Com os resultados, Raiza ganhou três posições e agora é a 37ª no ranking mundial. “O objetivo principal é ajudar o Brasil na classificação para Rio 2016. Estou contente em ter terminado como a melhor brasileira em uma competição tão difícil, mas tenho consciência que ainda preciso melhorar em alguns pontos e estarei trabalhando duro para isso”, declarou Raiza.

No ranking mundial de classificação olímpica por nação feminino, o Brasil aparece na 11 posição com 1745 pontos. As atletas Isabella Lacerda (597 pontos), 41ª colocada, e Erika Gramiscelli (553 pontos), 46ª colocada, também pontuam para o Brasil no ranking classificatório para Rio 2016. A líder do individual no ranking feminino é a suíça Jolanda Neff, com 2.297 pontos.

Classificação Olímpica – O Brasil, por ser sede dos Jogos, têm garantida uma vaga olímpica na prova de XCO masculina e outra na feminina. Entre os homens, para participar com três ciclistas, o Brasil precisará ficar no top 5 do ranking olímpico, que será divulgado no dia 25 de maio de 2016. Se ficar entre o sexto e o 13º lugar, o país terá direito de inscrever dois atletas.

Entre as mulheres, o Brasil precisará ficar no top 8 do ranking olímpico para classificar duas ciclistas. Os representantes, tanto do masculino, como do feminino, serão conhecidos após o fechamento do ranking, por convocação oficial da confederação.

Fonte: Confederação Brasileira de Ciclismo