A História do Mountain Bike

Tom RitcheyMountain Bike é um esporte específico de montanha e trilhas, nos mais variados tipos de terrenos, subidas e descidas. O Mountain Bike surgiu na década de 70, na Califórnia (Estados Unidos), a partir da atividade de um grupo de amigos: Joe Breese, Gary Fisher, Charlie Kelly, Eric Koshi e Charlie Cunninghan.

A diversão destes veteranos do ciclismo olímpico era subir o Monte Talmapais – em Marin Country, ao norte da Baía de San Francisco – , e despencar de lá em bicicletas que eles apelidavam de “Clunkers” ou “Transhmobiles” (tranqueira ou lixomóvel).

Gary FisherCom o passar do tempo, eles notaram que estas bicicletas, que sofriam em suas mãos, precisavam de algumas mudanças e uma série de inovações técnicas. O objetivo era adequá-las às suas necessidades radicais. Em 1977, surgiram os quadros especialmente manufaturados, desenvolvidos por Breese.

Em 1980, Mark Sinyard fundou a Specialized e lançou o modelo Stumpjumper (pula toco), a primeira bicicleta Mountain Bike a ser produzida em série no mundo.

A primeira competição

Com o tempo, os grupos de praticantes do mountain bike foram aumentando em número e tamanho. E aos poucos, provas foram sendo organizadas, e uma das primeiras competições do mountain bike (de que se tem registro) foi o Repack Downhill, um tipo de downhill realizado aos finais de semana em Mount Tamalpais (ou Mt. Tam), na Califórnia.
Famosa, passou a ser considerada a mola propulsora do esporte, reunindo competidores que buscavam novos limites, desafiando as precárias bikes e a técnica da época. Dali saíram os futuros atletas que marcaram o mountain bike, como Ned Overend.

A primeira prova brasileira da modalidade aconteceu em 1988, no Rio de Janeiro.

O esporte nos dias atuais

Kulhavy, Campeão OlímpicoComo esporte, o Mountain Bike cada vez mais acumulou adeptos, sendo hoje encontrada em quase todas as regiões do mundo. Nunca um esporte se espalhou tão rápido. Isto talvez se deva ao fato de aproximar as pessoas cada vez mais da natureza, do prazer e da adrenalina propiciada ao praticante, e de contribuir no condicionamento físico.

Várias competições são realizadas pelo mundo, elevando o nível técnico e despontando vários “pilotos”, e que hoje formam a elite competitiva do esporte. E o mountain bike passou, a partir de 1996, a ser um esporte olímpico, estreando nos Jogos Olímpicos de Atlanta. Isto evidencia a importância em que o esporte se encontra atualmente e quem sabe se eleve cada vez mais no futuro.

Depois dessas transformações, notamos a total consolidação do esporte e da indústria no mundo ciclístico, tendo um forte apoio, tanto das entidades públicas como privadas, e tendo um público que prestigia e fortalece cada vez mais o esporte.

Após a popularização o Mountain Bike mundo a fora o esporte ganhou algumas modalidades, a saber:

Cross Country ou XCO: Esta é o representante do Mountain Bike nos jogos olímpicos. Nessa modalidade é comum a montagem de trilhas em circuito fechado com trechos extremamente técnicos. É comum encontrar provas de até 40 km. As provas mais famosas dessa modalidade são a Copa do Mundo XCO e os Jogos Olímpicos.

Sauser e Stander, Campeões do Cape Epic 2012Cross Country Marathon ou XCM: Modalidade conhecida pela grande distância, acima de 50 Km. As competições que chegam ao ponto de durar dias também são conhecidas como “Epic Race” Provas épicas. As provas mais famosas no Brasil são o Big Biker, IronBiker, Montanha Cup, Brasil Ride.

Downhill: O biker encara descidas com o terreno bem irregular, seja ele natural ou urbano, passando por pontos de pulo, de transição e drops. As competições mais famosas são o Campeonato Brasileiro de Downhill as Descidas das Escadas de Santos, Mina de Ouro Preto, Santa Marta no Rio de Janeiro.

Freeride: Derivado do Downhill esse estilo não depende só de descidas. É comum o biker que pratica essa modalidade passar por troncos de árvores caídas e outros obstáculos. Também é muito praticado na área urbana.

Avancini e Sherman, Campeões do Brasil Ride 2013Equipamento recomendado para provas e treinos:

• Capacete/ Sapatilhas/ Roupas de ciclismo confortável;
• Kit de reparos para câmera;
• Bomba de ar ou CO2;
• Ferramenta Multi-tool;
• Telefone Celular;
• Barras energéticas/ Gel repositor;
• Água/ Isotônico;
• Protetor solar;
• Óculos de sol;
• Monitor cardíaco;
• Dinheiro em espécie;
• Documento de identificação/ Pulseira de identificação.

Referências: ViaPedal, Sampa Bikers e Portal Webventure